Gestão visual: como aproveitar dessa técnica Lean para produzir melhor

gestão visual lean

O que é gestão visual?

Gestão visual é o que vemos todos os dias, informações que nos cercam.

Como você sabe a velocidade máxima de direção em um trecho da rodovia? Como você realiza o controle de atividades na indústria? Como entendemos ao chegar em lugar desconhecido para onde seguir?

Para esses casos, temos placas que nos mostram a velocidade limite da pista, instrumentos e painéis de qualidade que nos ajudam a controlar as atividades de uma indústria e totens que nos mostram o andar e a direção correta para chegar no consultório médico por exemplo.

É preciso ver esse nível de informações diariamente? Não!

É útil ter essas informações disponíveis frequentemente? Sim!

A Viso soluções personalizadas para gestão à vista fabricamos produtos personalizados voltados para atender as necessidades na área da gestão visual. Nossos produtos possibilitam o controle de informações e itens, as placas de gestão visual, são as principais ferramentas de comunicação em um ambiente lean, facilitam o acesso da informação a toda equipe.

Como desenvolver a gestão visual?

Ao desenvolver um quadro de gerenciamento visual é preciso se concentrar na simplicidade. Focar em descrever as informações necessárias e com objetivo de a que a informação sejam:

  • Consistente;
  • De fácil entendimento;
  • Visível á distancia de um metro;
  • Utilização correta das cores de sinalização: cor verde para bater ou superar metas, cor vermelha para uma falta, por exemplo.

Quando se fala em métricas para um quadro de gerenciamento visual:

  • Pessoas;
  • Qualidade;
  • Cronograma;
  • Custo;
  • 5S, tornando mensurável e sempre atualizado.

O que mostrar em seus quadros de gestão visual?

Pensar em um funcionário, convidado ou visitante corporativo que entre em suas instalações nos ajuda a definir os dados de alto nível que são importantes de serem expostas em quadros de gestão visual.

A maior parte das empresas deve se concentrar em pessoas, qualidade, horário e custo. Pois esses são dados importantes para a maioria de nós, e ter quadros de gestão visual com essas indicações é algo muito importante para que possamos ver a posição da empresa com relação a esses dados.

Como aprofundar a gestão visual?

À medida que adentramos nas instalações da empresa, o nível de informação deve ir se tornando mais focado e relevante para as funções que ocorrem naquela área. Podemos ainda ter os indicadores de alto nível, mas normalmente os cortaremos ao nível que se faz necessário à área. Se estamos falando do cronograma, os quadros de gestão visual vão nos informar onde está área se encontra em seu objetivo, por exemplo.

À medida que avançamos para áreas de trabalho de nível funcional, veremos um nível de informação mais profundo e focado nas placas de gestão visual. A informação vai falar sobre o trabalho planejado no dia ou semana para essa função. Incluirá também informações sobre tarefas que não foram planejadas.

Com isso essa informação será o foco da reunião turno. Onde o líder vai analisar essa informação com os funcionários da área para assim assegurar o alinhamento do trabalho a ser realizado. Gerando com isso informações adicionais relevantes á área. Podendo gerar insumos para objetivos de treinamento. Gerando em alguns casos informações sobre projetos de melhorias contínua da área.

Como utilizar a gestão visual?

O objetivo mais importante sobre o uso do quadro de gestão visual é como ele é usado. Um indício de sua implementação bem sucedida é quando as equipes de produção ao usar efetivamente como um meio para entender as lacunas no desempenho para que com isso os objetivos sejam alcançados.

O quadro deve ser específico para o usuário, ou seja, as pessoas responsáveis pelo processo, linha e célula são as mesmas pessoas que mantêm as placas de gerenciamento visual.

Como estratificar a informação na gestão visual?

A chave para o gerenciamento visual é ele ser compreendido de forma fácil pelo seu público-alvo. Buscar entender quais informações são necessárias sobre a frequência para um indivíduo, equipe, departamento ou planta para gerenciar efetivamente o trabalho.

Quadros de gestão visual

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a gestão visual, aproveite para conferir os quadros personalizados de gestão visual da VISO, a empresa é especialista em quadros para gestão visual para os mais variados segmentos, oferecendo produtos personalizados de acordo com a necessidade de gestão de cada cliente. Acesse: https://www.viso.com.br/

GESTÃO À VISTA PARA GERENCIAR A FORÇA DE VENDAS

GESTÃO À VISTA PARA GERENCIAR A FORÇA DE VENDAS

 

Gestão à vista é uma metodologia de gestão visual, onde certos indicadores de desempenho são apresentados em quadros visíveis para todos os funcionários, em pontos específicos da empresa. Assim, todos estarão informados sobre o desempenho, tendo mais transparência nos processos e aspectos a melhorar para alcançar os objetivos desejados.

 

A gestão a vista, se for bem aplicada, resulta consideravelmente eficiente no gerenciamento de equipes de vendas. Criamos este artigo para explicar sobre a gestão à vista, como aplicá-la com sua equipe, veja alguns exemplos práticos. 

 

GESTÃOÀ VISTA NAS EMPRESAS: ATINJA SUAS METAS ORGANIZACIONAIS!

 

O intuito da gestão à vista é fazer um feedback constante para que a equipe e todos os envolvidos façam os ajustes necessários no fluxo de trabalho, praticamente em tempo real.

 

A gestão a vista funciona como faz um míssil teleguiado, ele tem um objetivo onde chegar, no caso de ele desviar de sua rota, os sensores indicam o problemas, os sistemas de direcionamento fazem os ajustes para ele voltar a rota e atingir o objetivo.

 

Da mesma maneira, se os vendedores acompanham em tempo real os indicadores de desempenho pessoal, de forma privada, e da equipe de forma compartilhada, poderão ajustar os comportamentos e atividades para atingir os objetivos.

 

Para os colaboradores que têm um desempenho muito bom, isso funciona para lhes dar ainda mais motivação, para aqueles que não estão no caminho certo é um modo de alerta, o que tem como resultado maior engajamento.

 

 

3 EXEMPLOS DE GESTÃO À VISTA

Utilizando um quadro de gestão à vista é possível deixar os funcionários bem informados sobre o seu desempenho.

 

É assim como se sentem motivados quando o desempenho é bom, e tomando as ações necessárias para corrigir as irregularidades quando os indicadores da gestão a vista mostram que os objetivos não estão sendo alcançados.

 

Vamos explicar três exemplos bastantes esclarecedores sobre a gestão à vista.

 

  1. KANBAN COMO QUADRO DE GESTÃO A VISTA

O Kanban é uma metodologia de gestão criada no Japão, utiliza quadros com cartões coloridos, com o propósito de guiar um fluxo de atividades de uma empresa.

Com o Kanban o objetivo é possibilitar que a equipe foque na produtividade e nas entregas das tarefas

Nesse tipo de gestão à vista o objetivo está mais focado em permitir que a equipe foque na produtividade e nas entregas de suas tarefas. O quadro para gestão a vista costuma ser dividido geralmente em 3 colunas, onde estão as colunas: “Para fazer”, “em produção” e “feito”. 

Também pode haver quadros específicos para muitas outras colunas por onde os cartões passam a ser concluídos. Assim, o quadro kanban permite saber quantas atividades foram concluídas, quais estão em andamento durante qual fase do processo, e aquelas que aguardam para ser iniciadas.

Além dos post-its em um quadro, também existem diferentes ferramentas online que podem ser acessadas desde o dispositivo móvel, quando e onde quiser. 

 2- USE KPI’S DE TENDÊNCIAS

Um excelente exemplo de quadro de gestão à vista para uma equipe de vendas é aquele que não exiba apenas um número de vendas, mas aquele que inclua as atividades necessárias a realizar para conseguir fechar as vendas.

Por exemplo, quantas mais visitas um vendedor fizer, maiores são as chances de ele fechar uma venda, sempre acompanhado de um bom planejamento de treinamento. Utilizar esse tipo de indicador no quadro e gestão à vista ajuda os vendedores a realizar ações com propósitos concretos, já seja, ligações, enviar e-mails, envio de propostas, visitas, entre outros. 

É ideal que cada vendedor possa ter acesso a seus números, assim como o quadro geral dos indicadores consolidados pela equipe, assim é possível que cada funcionário possa comparar com a média da equipe e avaliar sua performance particular.  

3- METODOLOGIA OKR

A metodologia OKR é muito conhecida e pode se beneficiar da gestão à vista. Nessa técnica são definidos os Objetivos e Resultados chaves, conhecida também como Objectives and Key Results, (em inglês- OKR).

Para definir os elementos do OKR é necessário responder a duas perguntas:

  • Objetivos: Onde se quer chegar?
  • Resultados Chave: Como vamos saber se estamos conseguindo nosso objetivo?
  • Exemplo:

Objetivo: Aumentar as vendas em 30% neste semestre.

Como sabemos que estamos chegando lá?

  • Potencializando ações de prospeção para conseguir 30% mais prospects por mês.
  • Qualificando 50% mais lead cada mês.
  • Marcando 50% mais ligações a leads por mês.

Desse jeito, ao longo do semestre, os funcionários poderão observar se seus Key-Results estão sendo alcançados se eles precisam fazer melhorias.

Agora que você conhece mais sobre a gestão à vista e as técnicas mais destacadas, aplique-las com sua equipe para conseguir fechar todas suas vendas!

 

 

FERRAMENTAS DE GESTÃO VISUAL QUE FOMENTAM SEUS PROCESSOS

FERRAMENTAS DE GESTÃO VISUAL QUE FOMENTAM SEUS PROCESSOS

Podemos encontrar ferramentas de gerenciamento visual à nossa volta todos os dias. Por exemplo, quando acaba seu combustível, uma luz no seu carro irá alertá-lo sobre o problema, as cores do semáforo indicam a ação que você deve realizar, seu aplicativo de exercícios te mostra o quanto falta para conseguir seu objetivo. Nosso cérebro processa rapidamente essas pistas visuais e toma decisões de acordo com essas informações.

A metodologia Lean inclui esse fato e aproveita várias ferramentas ótimas para gerenciamento e melhoria e qualquer organização que procura a melhoria contínua pode se beneficiar.

COMO FUNCIONAM AS FERRAMENTAS DE GERENCIAMENTO VISUAL?

Vamos explicar algumas das ferramentas de gerenciamento visual Lean mais destacadas, todas as ferramentas tem um objetivo para diferentes procedimentos:

  • Comunicar padrões.
  • Aplicar regras.
  • Compartilhar informações importantes.
  • Dar mais atenção às irregularidades.
  • Reagir de maneira rápida ante os problemas.

A maioria das organizações focam-se em entregar o melhor valor para o cliente, com o intuito de criar processos sólidos e de qualidade, as ferramentas de gerenciamento visual são utilizadas com o propósito de atingir esses objetivos, vamos explicar nesse artigo algumas das ferramentas mais utilizadas.

 

 

KANBAN

Kanban é uma ferramenta de visualização projetada com o propósito de gerenciar e potencializar o fluxo de trabalho. Essa técnica utiliza dicas visuais para remover gargalos no nível de sistema e equilibrar o fluxo com a capacidade disponível.

Os elementos do trabalho são representados visualmente, para assim proporcionar aos participantes uma visão do processo e progresso do projeto, desde o início até o fim, geralmente através do quadro Kanban.  As atividades são puxadas através do processo, conforme a capacidade do mesmo, a diferença de ser empurrado para o processo só no momento de ser solicitado.

Qualquer interrupção no fluxo de trabalho poderá ser identificada, por exemplo, nos casos do fluxo de trabalho em andamento ser limitado. Qualquer irregularidade será direcionada e resolvida antes que um novo registro seja formado ou fique muito grande. Esse processo é importante, pois evita atrasos de investimento, evita conflitos de priorização e entrega mais valor ao cliente.

Umas das empresas mais destacadas em usar a metodologia Kanban foi a Toyota, com o propósito de limitar o trabalho em andamento e minimizar o inventário, utilizando cartões para indicar que o estoque precisava ser reabastecido, essa e muitas outras empresas fazem uso dos quadros kanban na atualidade para visualizar o fluxo de trabalho e reduzir atrito nos processos.

QUADROS DE CONTROLE DE PROCESSO E DE PRODUÇÃO

QUADROS de controle de processos ou de produção, geralmente incluem uma linha central, um limite de controle superior de 3-sigma e um limite de controle inferior de 3-sigma. Podendo se apresentar também limites de 1 a 2 sigma. A linha central representa a média ou mediana do processo.

Os limites de controle refletem a variação do processo e auxiliam os usuários a reconhecer a variação do objetivo ou resultado esperado, dentro do processo e a variação da “causa especial”, a qual indica um problema. As tendências devem ser analisadas para assim definir se o processo é estável.

Empresas com foco em melhoria contínua da qualidade utilizam gráficos de controle para proporcionar uma linguagem comum, falar sobre comportamento e desempenho dos processos, tomar decisões acertadas sobre o status de diferentes processos, limitar a necessidade de inspeção e definir a capacidade do projeto e processo baseado no desempenho passado e tendências. Esses aspectos criam a linha de base para conseguir melhorias no futuro.

5S

O 5S é um método de organização que utiliza as cinco palavras japonesas traduzidas como “Classificar”, “Refinar”, “Padronizar” e “Sustentar”. As cinco palavras juntas definem como deve ser organizado um espaço de trabalho eficiente, identificando e coletando os itens utilizados, mantendo a área e os itens e sustentando a nova ordem.

O foco é a redução do desperdício com base na manutenção dos parâmetros e disciplina requerida para administrar a organização, cuidando assim o ambiente e mantendo o respeito ao local de trabalho. Quando se tem um local organizado de trabalho, é mais simples detectar quando existe alguma irregularidade ou alguma coisa está fora de lugar.

Utilizando uma ou todas essas técnicas, incluir um elemento de gerenciamento visual e se for assistido por tecnologia, auxiliará na melhoria do ritmo de trabalho, reduzir os problemas e manter toda a equipe envolvida no processo.

 

 

PROBLEMAS DA NÃO IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO VISUAL

GESTÃO VISUAL

O Visual Management, termo em inglês para gestão visual, é uma das principais práticas de gestão lean usadas para o compartilhamento de informações importantes e engajamento da equipe envolvida no processo. Uma equipe que não inclui a gestão visual nos seus processos pode apresentar muitos problemas no desempenho.

 

PROBLEMAS DA NÃO IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO VISUAL

Não fazer uso de gestão visual gera grandes problemas nas organizações, pois quando não se tem informações disponíveis sobre metas, progresso, detalhes e objetivos específicos, é comum que seja desenvolvido um sistema empurrado. Um sistema empurrado é aquele onde as pessoas perdem a proatividade, pois funcionam com informações incompletas e terminam só fazendo as tarefas que são “empurradas para elas”. Como estratégia de melhoria, são criados cargos de “gerentes”, os quais podem muitas vezes atuar como chefes controladores, sem compromisso, interesse ou presença de líder.

O status report é uma tentativa para reduzir o problema da falta de informações, ele não contribui de forma nenhuma com a visibilidade de progresso, não promove a colaboração e comunicação entre os funcionários, outra desvantagem do status report é que as informações inseridas podem ser facilmente manipuladas para mudar a percepção do progresso do projeto.

Quando se faz utilização da gestão visual e toda a equipe está presente e participativa, os quadros irão expressar o progresso da equipe com honestidade, se não há progresso isso fica refletido nos resultados do fluxo visual, as pessoas precisam melhorar e trabalhar para conseguir um sistema eficiente, a gestão visual é fundamental para a evolução de qualquer equipe ou projeto.

 

VANTAGENS DA GESTÃO VISUAL

Entres as vantagens da utilização da gestão visual estão:

  1. Disponibilidade no momento e sempre atualizada de informações referentes a processo ou projeto.
  2. Melhor comunicação, colaboração e engajamento da equipe e dos stakeholders.
  3. Melhoria contínua dos processos.
  4. Gera responsabilidade e foco nos objetivos, aumentando a produtividade.
  5. Melhor qualidade das atividades e tarefas executadas.

 

GESTÃO VISUAL NA PRÁTICA

  • Realizar um mapeamento de fluxo, considerando o estado atual, uma ferramenta ótima para executá-lo e o Mapeamento de Fluxo de Valor (Value Stream Mapping), assim como identificar o Coeficiente de Eficiência Operacional (COE).
  • Mapear os tipos de serviço para qualificar o trabalho que está sendo processado.
  • É fundamental estampar o fluxo num lugar onde todos tenham acesso, para assim observar constantemente o progresso do projeto, assim como realizar reuniões frequentes, fomentando a comunicação entre os colaboradores.
  • Limitar o work in progress a número de itens em progresso e o tamanho dos itens em progresso. O foco é entregar com mais velocidade e qualidade.
  • Medição é fundamental, a principal métrica de um sistema lean de produção puxada seria o throughput, é simples de usar, pois só permite identificar a quantidade de itens vazados no sistema por hora, também existe o Lead Time (Tempo entre a entrada e saída no sistema do item) e o Cycle Time (Tempo demorado entre o começo do trabalho no item e a finalização do mesmo)

GESTÃO VISUAL- COMO UTILIZAR ESSA FERRAMENTA LEAN

GESTÃO VISUAL- COMO UTILIZAR ESSA FERRAMENTA LEAN

GESTÃO VISUAL

A gestão visual existe a nosso redor os dias todos, pois é aquilo que possibilita identificar certas informações, por exemplo, quão rápido podemos dirigir, quando é seguro atravessar a rua, com quanto combustível contamos, assim como saber quando nosso carro precisa de alguma manutenção.

Assim como os carros, os quais contam com um painel que disponibiliza diferentes informações, como por exemplo, limite de velocidade, rotação do motor, pressão do ar nos pneus, óleo, velocidade média, entre outros; esses tipos de conceitos e significados podem ser utilizados nas organizações para assim oferecer valor e conhecimento de seus processos, as quais são conhecidas como placas de gerenciamento visual.

As placas de gerenciamento visual são exibições simples que fornecem informações, são as principais ferramentas de comunicação num ambiente lean, entre as placas de gerenciamento visual existem, as placas de melhorias continuas, ferramenta de avaliação de equipamento e status de projetos.

DESENVOLVENDO A GESTÃO VISUAL

Manter a simplicidade durante o desenvolvimento de um quadro de gerenciamento visual é essencial para conseguir os resultados esperados de uma comunicação adequada, o ideal é fornecer informações e que sejam:

  1. Informações consistentes: Todas as placas da organização devem manter um padrão estabelecido, com diferenças mínimas, unicamente conforme os processos explicados.
  2. Simples de entender: O sistema deve ser entendido pelos operadores de primeira linha até os gerentes, pois são informações usadas pela organização inteira.
  3. Visível a distância: O sistema deve permitir ser enxergado com pelo menos um metro de distância, fornece prevenção e um olhar rápido do processo, linha ou ações a prosseguir, a utilização das cores e ideal nesse caso, como por exemplo, o verde usado para aprovação e o vermelho usado como falha.

 

MÉTRICAS UTILIZADAS NUM QUADRO DE GESTÃO VISUAL

Existem diferentes métricas que podem ser utilizadas para a realização de um quadro de gestão visual, por exemplo, pessoas, no caso de segurança ou absentismo, qualidade dos trabalhos, cronograma de atividades, custo de produtividade ou eficiência.

O QUE DEVEM MOSTRAR OS QUADROS DE GESTÃO VISUAL?

Todas as pessoas que tem acesso as instalações devem conseguir ver diferentes tipos de informações importantes, isso vai depender da indústria e os aspectos essenciais das instalações, porem se apresentam algumas ideias a considerar.

No momento de entrar nas instalações a pessoa precisa identificar rapidamente os valores da empresa e como estamos atuando neles. A maioria das empresas tem como foco as pessoas, qualidade, produtividade, horário e custo, sendo essenciais para a maioria delas, e preciso ver dados e indicações sobre a posição da empresa sobre esses aspectos, indicadores muito usados são as cores verde e vermelho.

APROFUNDANDO A GESTÃO VISUAL

A medida que vamos avançando dentro da empresa, as informações devem ficar ainda mais claras e detalhadas para cada área, aos níveis aplicáveis na área, por exemplo, cronogramas e gráficos que possibilitem entender onde a área está atualmente, referente aos objetivos marcados desde o início. Logo, poderemos observar os dados iniciais que darão passo as sub-atividades a serem executadas.

Vamos observar um nível de informação mais profundo e focado nas placas de gestão visual na medida que fomos avançando ás áreas de nível funcional, a informação geralmente irá falar sobre as atividades planejadas diariamente, semanalmente ou mensalmente para cada função, incluindo aquelas tarefas ou atividades que não foram planejadas com anterioridade.

Essas informações devem ser analisadas durante reuniões com a equipe, para assim assegurar o alinhamento sobre as atividades a serem realizadas, pois haverá informações importantes para a área, como projetos de melhorias ou status de diferentes projetos.

COMO USAR A GESTÃO VISUAL

O aspecto mais importante da gestão visual é saber fazer uso dos quadros, uma utilização eficiente e aquela que permite avaliar as equipes, entender as lacunas no desempenho e conseguir elaborar ações que auxiliem na melhoria continua.

O quadro de gestão visual deve ser o mais detalhado possível para o usuário, os responsáveis pelo processo são os mesmos que devem manter as placas de gerenciamento visual atualizadas, é comum construir uma emoção por trás dos dados, pois o fato de colocar uma cor verde ou vermelha gera uma emoção na equipe e o gestor.

COMO ORGANIZAR A INFORMAÇÃO NA GESTÃO VISUAL

Existem desde sistemas de rastreamento manual até sistemas eletrônicos totalmente integrados, os quais disponibilizam os dados diretamente dos sistemas do negócio, em quanto mais automatizado é o sistema, menos tempo deve ser investido na tarefa de mantê-lo. 

Embora pareça que os sistemas automatizados auxiliam num processo mais ágil, existem alguns que não oferecem as informações de forma simples para ser entendidas pelo público alvo, sendo o mais importante para o gerenciamento visual, é necessário dispensar o tempo entendendo as informações sobre os projetos, trabalho e atividades de um funcionário, equipe, área e empresa para assim gerenciar eficientemente o trabalho.

Uma dica para você melhorar seus processos de gestão visual, é a utilização de mapeamento de fluxo de valor (VSM) para entender os detalhes da melhor forma possível, envolver os funcionários nos processos contribui na melhoria continua, a utilização de indicadores de desempenho focados ajuda a medir os resultados obtidos referente aos esperados, utilize também as placas de gestão visual para otimizar a comunicação e organização da empresa.

GESTÃO VISUAL- COMO UTILIZAR ESSA FERRAMENTA LEAN

GESTÃO VISUAL- COMO UTILIZAR ESSA FERRAMENTA LEAN

 

A gestão visual existe a nosso redor os dias todos, pois é aquilo que possibilita identificar certas informações, por exemplo, quão rápido podemos dirigir, quando é seguro atravessar a rua, com quanto combustível contamos, assim como saber quando nosso carro precisa de alguma manutenção.

Assim como os carros, os quais contam com um painel que disponibiliza diferentes informações, como por exemplo, limite de velocidade, rotação do motor, pressão do ar nos pneus, óleo, velocidade média, entre outros; esses tipos de conceitos e significados podem ser utilizados nas organizações para assim oferecer valor e conhecimento de seus processos, as quais são conhecidas como placas de gerenciamento visual.

As placas de gerenciamento visual são exibições simples que fornecem informações, são as principais ferramentas de comunicação num ambiente lean, entre as placas de gerenciamento visual existem, as placas de melhorias continuas, ferramenta de avaliação de equipamento e status de projetos.

DESENVOLVENDO A GESTÃO VISUAL

Manter a simplicidade durante o desenvolvimento de um quadro de gerenciamento visual é essencial para conseguir os resultados esperados de uma comunicação adequada, o ideal é fornecer informações e que sejam:

  1. Informações consistentes: Todas as placas da organização devem manter um padrão estabelecido, com diferenças mínimas, unicamente conforme os processos explicados.
  2. Simples de entender: O sistema deve ser entendido pelos operadores de primeira linha até os gerentes, pois são informações usadas pela organização inteira.
  3. Visível a distância: O sistema deve permitir ser enxergado com pelo menos um metro de distância, fornece prevenção e um olhar rápido do processo, linha ou ações a prosseguir, a utilização das cores e ideal nesse caso, como por exemplo, o verde usado para aprovação e o vermelho usado como falha.

 

MÉTRICAS UTILIZADAS NUM QUADRO DE GESTÃO VISUAL

Existem diferentes métricas que podem ser utilizadas para a realização de um quadro de gestão visual, por exemplo, pessoas, no caso de segurança ou absentismo, qualidade dos trabalhos, cronograma de atividades, custo de produtividade ou eficiência.

O QUE DEVEM MOSTRAR OS QUADROS DE GESTÃO VISUAL?

Todas as pessoas que tem acesso as instalações devem conseguir ver diferentes tipos de informações importantes, isso vai depender da indústria e os aspectos essenciais das instalações, porem se apresentam algumas ideias a considerar.

No momento de entrar nas instalações a pessoa precisa identificar rapidamente os valores da empresa e como estamos atuando neles. A maioria das empresas tem como foco as pessoas, qualidade, produtividade, horário e custo, sendo essenciais para a maioria delas, e preciso ver dados e indicações sobre a posição da empresa sobre esses aspectos, indicadores muito usados são as cores verde e vermelho.

APROFUNDANDO A GESTÃO VISUAL

A medida que vamos avançando dentro da empresa, as informações devem ficar ainda mais claras e detalhadas para cada área, aos níveis aplicáveis na área, por exemplo, cronogramas e gráficos que possibilitem entender onde a área está atualmente, referente aos objetivos marcados desde o início. Logo, poderemos observar os dados iniciais que darão passo as sub-atividades a serem executadas.

Vamos observar um nível de informação mais profundo e focado nas placas de gestão visual na medida que fomos avançando ás áreas de nível funcional, a informação geralmente irá falar sobre as atividades planejadas diariamente, semanalmente ou mensalmente para cada função, incluindo aquelas tarefas ou atividades que não foram planejadas com anterioridade.

Essas informações devem ser analisadas durante reuniões com a equipe, para assim assegurar o alinhamento sobre as atividades a serem realizadas, pois haverá informações importantes para a área, como projetos de melhorias ou status de diferentes projetos.

COMO USAR A GESTÃO VISUAL

O aspecto mais importante da gestão visual é saber fazer uso dos quadros, uma utilização eficiente e aquela que permite avaliar as equipes, entender as lacunas no desempenho e conseguir elaborar ações que auxiliem na melhoria continua.

O quadro de gestão visual deve ser o mais detalhado possível para o usuário, os responsáveis pelo processo são os mesmos que devem manter as placas de gerenciamento visual atualizadas, é comum construir uma emoção por trás dos dados, pois o fato de colocar uma cor verde ou vermelha gera uma emoção na equipe e o gestor.

COMO ORGANIZAR A INFORMAÇÃO NA GESTÃO VISUAL

Existem desde sistemas de rastreamento manual até sistemas eletrônicos totalmente integrados, os quais disponibilizam os dados diretamente dos sistemas do negócio, em quanto mais automatizado é o sistema, menos tempo deve ser investido na tarefa de mantê-lo. 

Embora pareça que os sistemas automatizados auxiliam num processo mais ágil, existem alguns que não oferecem as informações de forma simples para ser entendidas pelo público alvo, sendo o mais importante para o gerenciamento visual, é necessário dispensar o tempo entendendo as informações sobre os projetos, trabalho e atividades de um funcionário, equipe, área e empresa para assim gerenciar eficientemente o trabalho.

Uma dica para você melhorar seus processos de gestão visual, é a utilização de mapeamento de fluxo de valor (VSM) para entender os detalhes da melhor forma possível, envolver os funcionários nos processos contribui na melhoria continua, a utilização de indicadores de desempenho focados ajuda a medir os resultados obtidos referente aos esperados, utilize também as placas de gestão visual para otimizar a comunicação e organização da empresa.